Director do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável e bastonária da Ordem dos Nutricionistas defendem que se devia limitar a venda de comida e bebida não saudável nas máquinas que estão nos serviços da administração pública.

A Secretaria Regional da Saúde informou, em comunicado, que terá lugar, nos próximos dias 12 e 13 de Novembro de 2016, a última acção da primeira edição da campanha ‘Um Mês, Um Concelho, Uma Operação Stop’.

O Acidente Vascular Cerebral (AVC), embora seja mais frequente no idoso, pode ocorrer no adulto jovem com morbilidade e mortalidade significativas. As causas e os fatores de risco para o AVC isquémico no jovem diferem em relação ao idoso.

O vírus da gripe muda constantemente, pelo que a vacina criada todos os anos é especificamente para aquela altura e a imunidade conferida não é duradoura

Muita da intervenção de um terapeuta da fala, na população adulta destina-se a pessoas que sofreram uma lesão cerebral, como por exemplo, após um AVC.

Campanha de vacinação arrancou na Madeira a 1 de outubro

Os medicamentos têm o potencial de tratar mas também comportam riscos, lembra o Infarmed. Já este ano, até 30 de Setembro, foram notificadas 3821 suspeitas de reacções adversas, 251 das quais feitas por utentes.

Em 531 pessoas que doaram sangue pela primeira vez, no ano passado, 291 eram mulheres. De modo geral, os números de dadores mantiveram-se ao longo dos anos, fazendo com que a Região seja autos suficiente a nível de cuidados com sangue. Ainda que os números estejam a aumentar, os dadores do género feminino na Madeira dão menos sangue do que os do sexo oposto

É um dado que está a intrigar e a preocupar os especialistas: os portugueses “perderam” cerca de três anos de esperança de vida saudável em 2014 face ao ano anterior, fenómeno que os responsáveis da Direcção-Geral da Saúde (DGS) vão investigar para tentar perceber o que aconteceu e, eventualmente, rever as ambiciosas metas que tinham traçado para 2020.

A Direção Geral da Saúde ordenou uma lista com oito doenças (coração, gripe, cancro, diabetes, demência, depressão, SIDA e acidente vascular cerebral), através de uma escala numérica de 1 a 8 (do “maior receio” ao “menor receio”). Os resultados revelam que as demências estão entre as doenças que os portugueses mais receiam, sendo só superadas pelo cancro e pelo acidente vascular cerebral (AVC).A demência assusta bastante os portugueses, gerando muitos preconceitos, mitos e ideias erradas